domingo, dezembro 04, 2005

AÑOS DE SOLEDAD (sobre um som de Piazzolla e Mulligan)

estar só, mas ter amigos,
ainda que distantes,
é estar debaixo de uma tempestade
no meio da mata fechada e enxergar,
à luz de um relâmpago,
placas com nomes de ruas.


é estar voltando pra suposta casa
no fim da madrugada de uma cidade estranha
e enxergar bromélias, avencas e samambaias
cobrindo os prédios.


é sorrir sozinho
ao tomar um cálice de vinho,
por saber que chorar sozinho,
jamais,
quando se tem amigos,
ainda que distantes.


011205

3 Comments:

Blogger Fascinada pelo Instante said...

Avencas e samambaias... vejo uma influência de Caio F., não?

4:36 PM  
Anonymous Doda said...

Você ja sabe,ameí esse poema.Mesmo com as avencas e samambaias que não vingão por aquí.

12:21 AM  
Anonymous Jelícia said...

sinto que sua poesia é uma identidade de meus sentimentos...como poderia ? Ainda mais quando está preso ao laço Piazzolla e Mulligan!!! Oh céus xD

8:47 PM  

Postar um comentário

<< Home